musicas.mus.br

Letras de músicas - letra de música - letra da música - letras e cifras - letras traduzidas - letra traduzida - lyrics - paroles - lyric - canciones - CARA DE JILó - ALINE CALIXTO - música e letra

Utilize o abecedário abaixo para abrir as páginas de letras dos artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Cara de Jiló letra


Pra que ficar com essa cara de jiló
Dentro do terninho, da gravata e paletó
Pra que corar o teu semblante de vermelho
Guarde tua língua pra não dar nos cotovelos
Faça como eu faço
Meu buraco é mais embaixo
Lá no meu barraco é que eu me esculacho
Uma gelada, feijoada e violão
Folia no terreiro e amor no coração

Pra que ficar com essa cara de jiló
Dentro do terninho, da gravata e paletó
Pra que corar o teu semblante de vermelho
Guarde tua língua pra não dar nos cotovelos
Faça como eu faço, meu buraco é mais embaixo
Lá no meu barraco é que eu me esculacho
Uma gelada, feijoada e violão
Folia no terreiro e amor no coração

Pra que levar a tua vida numa "bad"
A felicidade com dinheiro não se mede
Pra que querer de um pouco todo e um pouco tudo
Pague para ver e vai se arrepender

Faça como eu faço, me afasto do cansaço
Hoje tem festinha na laje do meu barraco
Eu tô de olho no negão da padaria
Eta coisa boa é viver na boemia
Sai desse compasso de viver o dia-a-dia
Quebre o protocolo de sua monotonia

Pra que ficar com essa cara de jiló
Dentro do terninho, da gravata e paletó
Pra que corar o teu semblante de vermelho
Guarde tua língua pra não dar nos cotovelos
Faça como eu faço, meu buraco é mais embaixo
Lá no meu barraco é que eu me esculacho
Uma gelada, feijoada e violão
Folia no terreiro e amor no coração

Pra que ficar com essa cara de jiló
Dentro do terninho, da gravata e paletó
Pra que corar o teu semblante de vermelho
Guarde tua língua pra não dar nos cotovelos
Faça como eu faço, meu buraco é mais embaixo
Lá no meu barraco é que eu me esculacho
Uma gelada, feijoada e violão
Folia no terreiro e amor no coração

Pra que levar a tua vida numa "bad"
A felicidade com dinheiro não se mede
Pra que querer de um pouco todo e um pouco tudo
Pague para ver e vai se arrepender

Faça como eu faço, me afasto do cansaço
Hoje tem festinha na laje do meu barraco
Eu tô de olho no negão da padaria
Eta coisa boa é viver na boemia
Sai desse compasso de viver o dia-a-dia
Quebre o protocolo de sua monotonia

Sai desse compasso de viver o dia-a-dia
Quebre o protocolo de sua monotonia

Aline Calixto - Letras

©2003 - 2017 - musicas.mus.br